O JEJUM

"Quando jejuarem, não mostrem uma aparência triste como os hipócritas, pois eles mudam a aparência do rosto a fim de que os homens vejam que eles estão jejuando. Eu lhes digo verdadeiramente que eles já receberam sua plena recompensa. Ao jejuar, ponha óleo sobre a cabeça e lave o rosto, para que não pareça aos outros que você está jejuando, mas apenas a seu Pai, que vê no secreto. E seu Pai, que vê no secreto, o recompensará” (Mateus 6.16-18).

Introdução
Jejum não é greve de fome em que alguns realizam com o propósito de adquirir poder político ou atrair a atenção para uma boa causa, jejum não pode ser aderido como uma dieta por necessidade de zelar ou melhorar a própria saúde, não, isso não é jejum. Jejum é a abstinência de alimentos ou algo fundamental para o nosso bem estar "carnal" com a finalidade de subjugar esses desejos em busca de um fortalecimento espiritual.
Quais são os jejuns usados na Bíblia:
E quarenta dias foi tentado pelo diabo, e naqueles dias não comeu coisa alguma; e, terminados eles, teve fome (Lucas 4.2). No jejum de quarenta dias de Jesus, o evangelista informa que Cristo nada comeu e que ao fim desses quarenta dias Ele teve fome e nesse momento Satanás o tentou a comer, indicando aqui o "modelo" do seu jejum.
O jejum parcial:
Embora pareça que o jejum normal fosse prática costumeira no cotidiano do profeta Daniel, houve uma ocasião em que, durante três semanas, ele não comeu manjar desejável, nem carne, nem vinho entrou na minha boca, nem me untei com óleo algum (Daniel 10.3).
O jejum absoluto:
Considerando-se que o corpo humano não pode passar sem água muito mais do que três dias.
Há também diversos exemplos de jejum absoluto, ou abstenção tanto de alimento como de água. Vejamos:
- Ester instruiu a Mordecai: Vai, ajunta a todos os judeus.... e jejuai por mim, e não comais nem bebais por três dias, nem de noite nem de dia; eu e as minhas servas também jejuaremos? (Ester 4.16).
- O Apostolo Paulo fez um jejum absoluto de três dias após seu encontro com o Cristo vivo (Atos 9.9).
- Moisés como Elias empenharam-se no que devem considerar-se jejuns absolutos sobrenaturais.
Jejum coletivo:
O único jejum público anual exigido pela lei mosaica era realizado no dia da expiação (Levítico 23.27). Era o dia do calendário judaico em que o povo tinha o dever de estar triste e aflito como expiação por seus pecados.
- Os jejuns eram convocados, também em tempos de emergência de grupo ou da nação: Tocai a trombeta em Sião, promulgai um santo jejum, proclamai uma assembléia solene? (Joel 2.15).
- Quando o Reino de Judá foi invadido, o rei Josafá convocou a nação para jejuar (2º Crônicas 20.1-4).
- Em resposta à pregação de Jonas, toda a cidade de Nínive jejuou inclusive os animais? Involuntariamente, sem dúvida.
- Antes do retorno a Jerusalém, Esdras fez os exilados jejuar e orar por segurança na estrada infestada de salteadores (Esdras 8.21-23).
Objetivo do jejum não é atrair pra nós a honra do propósito, mas dar a Deus a honra do louvor. (Mateus 6.16-18). Deus interrogou o povo no tempo de Zacarias: Quando jejuastes... Acaso foi para mim que jejuastes, com efeito para mim? (Zacarias 7.5).
Todos precisam cultuar em jejuns:
- Anciã, viúva, profeta (Lucas 2.37).
- Os apóstolos (Atos 13.2).
Os propósitos secundários do jejum:
- Davi disse: Em jejum está a minha alma? (Salmo 69.10). Ira, amargura, ciúme, discórdia, medo o que estiverem dentro de nós, vai aflorar durante o jejum. “é a fome”... A cura está disponível mediante o poder de Cristo.
- Paulo escreveu: Todas as coisas me são lícitas, mas eu não me deixarei dominar por nenhuma delas. (1º Coríntios 6.12).
- Esmurro o meu corpo, e o reduzo à escravidão? Disse Paulo (1ª Coríntios 9.27).
- Semelhantemente, escreveu Davi: Eu afligia a minha alma com jejum? (Salmo 35.13).