DEUS DE PRINCÍPIOS

A Série Deus de Princípios, esta sendo realizada nas reuniões de domingo (10h00 e 18h30) na SEDE da A.D. Plenitude da Fé. Participe, Deus tem uma palavra de vitória reservada pra você. 

Introdução
O termo latim “Emovere = E (variante ex = fora + movimento = movimento)”. Esta é a raiz da palavra emoção, uma experiência totalmente subjetiva associada ao temperamento + personalidade + motivação; percebam que esses três elementos geram a instabilidade racional e então por um instante agimos pela emoção, isso é o suficiente pra “sairmos do trilho lógico, racional” e passamos a agir fora do movimento, pela emoção “a flor da pele”, simplesmente pela necessidade da satisfação imediata da nossa própria vontade e sempre distante da vontade de Deus. Assim age o homem sem o controle e domínio de Deus; temperamento + personalidade + motivação = emoção e quase sempre dor, sofrimento, angustia, pecado.
Deus por sua vez não age por emoção e sim por princípios, por convicção, por fundamentos. Deus não se movimenta fora, ou seja, Deus é e sempre será cumpridor de sua palavra. Se formos infiéis, ele permanece fiel; não pode negar-se a si mesmo. (2ª Timóteo 2.13).
E não sede conformados com este mundo, mas sede transformados pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus. (Romanos 12.2).
Para vivermos a sua boa, perfeita e agradável vontade de Deus, precisamos conhecer um pouco mais sobre os princípios estabelecidos por Ele para a sua mais gloriosa criação; a o homem.

PRINCÍPIO DA VONTADE SOBERANA DIVINA.
Gênesis 1.28 – “E Deus os abençoou, e Deus lhes disse: Frutificai e multiplicai-vos, e enchei a terra, e sujeitai-a; e dominai sobre os peixes do mar e sobre as aves dos céus, e sobre todo o animal que se move sobre a terra”.
Perceba no texto do princípio que Deus no momento da criação do homem, o fez a sua imagem e semelhança, e para esse Adão o Senhor Deus não lhe faz promessas, mas lhe dá ordens, para simplesmente serem obedecidas. Isso revela que Adão estava guiado, direcionado e conduzido pela vontade soberana de Deus. A imagem e semelhança refletia a santidade, a submissão o que tornava as promessas desnecessárias ao homem que por sua vez cumpria as ordens ou a vontade de Deus.

PRINCÍPIO DA VONTADE PERMISSIVA.
Gênesis 4.1 a 7 – “E conheceu Adão a Eva, sua mulher, e ela concebeu e deu à luz a Caim, e disse: Alcancei do SENHOR um homem. E deu à luz mais a seu irmão Abel; e Abel foi pastor de ovelhas, e Caim foi lavrador da terra. E aconteceu ao cabo de dias que Caim trouxe do fruto da terra uma oferta ao SENHOR. E Abel também trouxe dos primogênitos das suas ovelhas, e da sua gordura; e atentou o SENHOR para Abel e para a sua oferta. Mas para Caim e para a sua oferta não atentou. E irou-se Caim fortemente, e descaiu-lhe o semblante. o SENHOR disse a Caim: Por que te iraste? E por que descaiu o teu semblante?  Se bem fizeres, não é certo que serás aceito? E se não fizeres bem, o pecado jaz à porta, e sobre ti será o seu desejo, mas sobre ele deves dominar”. 
Quando o homem sai da vontade soberana de Deus motivado pelo direito de escolha, ele passa a viver a permissividade divina e isso por consequência do pecado, ao tomar do fruto da semente da escolha deixado pela mentira da serpente, sobre qual árvore deveriam comer ou não comer. O pecado entra na humanidade e agora Adão sai da rota, ele está fora do movimento da soberania divina. Guiado por seu novo temperamento, por sua nova personalidade além da motivação, por conta e risco Adão assume as escolhas da sua vida, deixando de lado o privilégio de receber o direcionamento direto de Deus. Perceba que o pecado é o grande problema do homem, é ele que aguça em nos o desejo que nos distancia da benção nos aproximando da maldição. Livre arbítrio, o poder da decisão nas mãos no homem.

Deuteronômio 11.26 a 28 - “Eis que hoje eu ponho diante de vós a bênção e a maldição; A bênção, quando cumprirdes os mandamentos do SENHOR vosso Deus, que hoje vos mando; Porém a maldição, se não cumprirdes os mandamentos do SENHOR vosso Deus, e vos desviardes do caminho que hoje vos ordeno, para seguirdes outros deuses que não conhecestes”.

Agora o homem passa a escolher a maldição ao invés da benção, o pecado ao invés da santidade e a corrupção, a violência rapidamente, invadem a terra e Deus resolve destruí-la. Mas Deus encontra um homem diferente, que mesmo sofrendo com interferências do pecado, escolhe permanecer guiado pela ordem de Deus, o seu nome; Noé, homem justo, reto e temente a Deus.
Repare que Deus não faz promessas a esse homem, mas sim lhe da uma ordem, Farás na arca uma janela, e de um côvado a acabarás em cima; e a porta da arca porás ao seu lado; far-lhe-ás andares, baixo, segundo e terceiro. Gênesis 6.16.

Noé obedeceu e ao sair da arca ele oferece um sacrifício genuíno a Deus e a aliança entre eles é selada e confirmada, Noé esta debaixo da soberania de Deus. Gênesis 9.1: “E abençoou Deus a Noé e a seus filhos, e disse-lhes: Frutificai e multiplicai-vos e enchei a terra”.